24
set
2009

A Dona da Cozinha

por: Patty Martins

Eu, eu mesma.

Sou gente boa, sangue bom. Pelo menos é o que dizem.

Nasci no século passado (meu Deus que frase), precisamente em 13 de abril de 1969. Portanto, apesar de ser uma pessoa de época, não sou tão velha assim.
Sou baiana, o que foi muito importante para minha formação. Porque para o baiano tudo é festa, a gente acontece e faz acontecer. Ser baiano é ser retado, é ser porreta, é ser, como podem ver, modesto.
Nasci no interior, Senhor do Bonfim, a melhor festa junina da Bahia. Passei praticamente todas as férias na capital da alegria, curtindo Buraquinho, Ipitanga, Itaparica e nadando no Porto da Barra e na Bacia das Moças, na Pituba.

Sou louca por doces. Doce de jaca em compota é o meu preferido. Nunca gostei de café, mas agora estou me convertendo ao seu consumo. O frapê de café com chantilly é T-U-D-O.
Gosto demais de cozinhar e de inventar na cozinha. Faço um escondidinho de charque que é divino.

Gosto também de cheiros. Os meus preferidos são: de terra molhada pela chuva, de alho com bacon fritando, de caderno novo, de banho tomado e de carro 0 km. Acho que são estes. Agora, cheiro forte demais é uó. Cheiro tem que ser na medida certa.
O que me incomoda é vento. Tô falando de vento e não de brisa. Nada mais irritante do que o vento batendo em minhas orelhas.
Irritante também é gente que fala assim: fulano é pra lá de animado, é pra lá de convencido (prá lá? Como assim?) ou que fala assim: vou estar confirmando (não é mais simples, vou confirmar), vai estar sendo debitada (vai ser debitada). Sei lá porque, mas me irrita profundamente.

Sou chorona. Já fui mais. Sou do tipo que chora até vendo comercial de margarina na TV.
Agora, se quiser me agradar, me dê presentes. Sou que nem criança. Aliás, tem coisa melhor do que ganhar presentes? Até tem, mas deixa para lá.

Nunca tive um time do coração e nunca fui à Fonte Nova. Já fui ao Maracanã, mas não em dia de jogo. Muitas vezes torcia pelo Vitória, mas com certeza pulei muitos carnavais ao som de Bahia, Bahia, Bahia, hino do Bahia.
Eu era tímida, mas daquelas que enfrentam a timidez por isso a timidez não me atrapalhou em nada, só me deu um charme a mais (que metida que eu sou). Como vêem, agora sou mais saidinha.
Enfrentando a timidez, desde pequena, nas festas, me vestia de palhaço e sempre estava às voltas envolvida com alguma peça de teatro. Muitas vezes fui atriz, outras tantas diretora.

Quanto a escrever, pensando agora, acho que sempre escrevi e gostei de escrever. Escrevia no jornal da escola, ganhei concurso de redação e tudo o mais. Até ganhei uma viagem de quinze dias para a Itália por vencer um concurso de monografias.

Quando era pré adolescente, meus pais resolveram morar em Porto Velho, Rondônia. Uma experiência riquíssima. Novos costumes, novos ambientes. Tudo muito diferente. Foi lá, ainda uma menina, que eu conheci Deus mais profundamente e desde então é Ele quem rege minha vida.
Dois anos depois estávamos de volta.
Aos dezesseis, mudei do interior para a capital, Salvador. Nova vida. Faculdade, namorado, namorado que conservo até hoje. Só de casamento já se vão mais de vinte anos.
Procurando estudar em uma das melhores faculdades do país, fui com um ano de casamento para São Paulo, mais precisamente Rio Claro. Lá me formei, fiz mestrado e resolvi dar uma guinada.
Formada em Geografia e com mestrado na área, percebi que havia deixado para trás um sonho de menina. Escrever, atuar, apresentar. Dei a tal da guinada. Não foi fácil, foi doloroso, muito por causa de uma madrasta má: minha autocrítica. Mas arregacei as mangas e comecei praticamente do zero. Com uma filha pequena me formei em Radialismo, Locução e Apresentação de Programas de Rádio e TV e fui à luta, trabalhei em uma produtora de vídeo. O bonito da vida é isto: Sempre é tempo.
Mudando para Araraquara, ainda em São Paulo, também comecei a trabalhar em jornal. Consegui meu registro de jornalista e continuei em frente. Foi em Araraquara que tive meu segundo filho. Trabalhava em jornal e era colaboradora de sites da internet.
Dezesseis anos depois, cá estou eu de volta ao Nordeste, estou morando em Garanhuns, Pernambuco. A Suíça pernambucana. Vocês podem não acreditar, mas uma cidade nordestina e fria. Fria mesmo. No inverno, em alguns pontos da cidade, o termômetro chega a marcar 8 graus. Aqui fui editora de uma revista, escrevi uma página em um jornal por mais de 1 ano e também escrevi para revistas de circulação nacional. Neste meio tempo nasceu meu terceiro filho, em Recife.

Sempre pari e criei, não tive filho para os outros cuidarem. Faço questão de estar ali pertinho quando nasce o primeiro dente, quando ele diz a primeira palavra, quando leva o primeiro tombo e quando tenho que virar a noite por causa de uma febre que teima em não passar.
Foi para acompanhar bem de perto o nascimento de meu filho que deixei a revista e o jornal e fiquei só escrevendo para alguns sites. Tive três blogs anteriormente, até que resolvi escrever este: Aqui na Cozinha. Juntei o útil ao agradável.

Escrevo, não só isso, escrevo, cozinho e escrevo sobre cozinha. Agora só falta o resto do sonho, mas quem sabe qualquer dia você não topa comigo nas ondas do rádio ou na telinha da tv, eitcha.
Como vêem, desde sempre, levo a vida como disse um dia Léo Buscaglia: Vivendo, Amando e Aprendendo.
Pois bem, esta sou eu.

Se quiser saber mais sobre o blog, CLIQUE AQUI.

Beijo,

 

Compartilhe ou imprima

PrintFriendly and PDF


101 Comentários

  1. Tiana Vieira disse:

    Oi, Patty! Que prazer ler o seu blog. Que mulher dinâmica e simpática. Temos algo em comum, também sou geógrafa. Moro em Ipatinga-MG e me formei na PUC, em Belo Horizonte. Atualmente, sou professora na rede pública de Ipatinga. Já gostei muito de cozinha, mas ando com preguiça de cozinha. Entretanto, sua energia e sabedoria na cozinha, estão me estimulando a tomar gosto novamente por esta arte, que é cozinha. Adorei sua história. Muito bacana mesmo. Gosto muito dos baianos. São alegres e despojados. Transmitem uma energia boa. Que Deus continue te abençoando muito e sempre. Beijos.

    Patty Martins respondeu:

    Amém Tiana. Muito obrigada pelo carinho. Beijinhos

  2. Lídia disse:

    Bom-dia,como vai?
    Gostaria de te pedir uma dica;será que se eu usar o fermento de bolo, a receita ficará boa? Obrigada

  3. claudio caetano santos disse:

    Ola Patty lendo seu blog fiquei emocionado como a internet ajuda muitas pessoas Patty venho aqui pedir uma ajuda ja tive um restaurante de pequeno porte mais alguns e percalços me levaram a desistir aluguel carro fluxo de clientela enfim mais eu nunca desisto sou cozinheiro profissional só que agente sempre trabalhando pra terceiro as vezes demora pra conseguir os objetivos então venho por aqui te pedir ajuda eu no meu restaurante no passado vendi FRANGO ASSADO DESOSSADO E RECHEADO vendia medianamente bem agora eu te pergunto voce pode me ajudar a remontar essa idéia pois moro num bairro acho que pode vender bem sei desossar,tenho um tempeiro basico mas voce pode me ajudar indicando outros vi também que voce ja morou na bahia pra mim isso é um orgulho mais uma baiana srsrrsrsr atualmente estou desempregado então deixo meu apelo que Deus te abeçoe.

  4. Beatriz Machado disse:

    Oi, Patty! Amei o seu blog, principalmente porque temos muito em comum! Assim como você, sou baiana, porém de Ilhéus, mas também já morei em Salvador e atualmente moro em Rondônia, contudo, na cidade de Cacoal, que é bem próxima de PVH. Foi aqui em RO que eu e minha família também conhecemos a Cristo. Nossa região (digo “nossa” pois me senti muito bem acolhida por aqui) é ricamente abençoada e ainda que possua defeitos, podemos ver e sentir a presença e o cuidado de Deus por Rondônia, bem como por sua vida.
    Eu amo de paixão cozinhar, embora tenha 16 anos, me arrisco bem na cozinha, algumas vezes a receita dá errado, mas faz parte da busca pela perfeição. Espero aprender muito com você, pois acompanhando seu blog, dá pra ver que você é arretada mesmo na cozinha! kkkkk
    Tenho certeza que Deus é contigo e sempre será.
    Um abraço,

    Beatriz Machado.

    Patty Martins respondeu:

    Que comentário carinhoso Beatriz. Obrigada querida. Beijinhos

  5. Gal Brasil disse:

    Oi Paty!!! Simplismente maravilhoso seu blog, sem contar que me quebrou um galhão hoje!!! Essa receita da lasanha é muito pratica, super rápida de fazer.
    Sou baiana também!!! Moro em Santa Luz, não muito longe de Sr. do Bomfim! Parabéns, seu trabalho é muito gratificante… embora não lide muito bem com cozinha, ficou fácil com sua receita.
    Parabéns.
    Jesus te abençoe de uma forma especial.

  6. Klarty Marques disse:

    Oiii sou de garanhuns e moro em caruaru ameiii seu blog Parabéns e obrigada pela dica da farinha de amêndoas coloca mais receitas com ela adoroooo e não tem gluten

    Patty Martins respondeu:

    Olá vizinha, como está de São João aí, esse mês o bicho pega por aí né?
    Por nada. eu só não coloco mais porque não acho amêndoa tão facilmente por aqui.
    Beijos
    Patty

  7. dina Ximenea disse:

    Olá Pat Martins, tambem sou do século passado, voce nasceu, eu deveria ter uns sete a oito anos. Nas festa juninas, mamãe costumava, mamãe fazia bolos de milho verde, de batata doce, de macaxeira e uma bebida chamada ALUÁ.Só em falar, eu volto a época dos folguedos, sem esquecer as cocadas marrons e brancas, milho verde ,cozido e assado,muncuzá, canjica…a lista é lomga. Mas gostaria muito de saber se voce tem a receita do ALUÁ, esta bebida é como uns bolinhos descrito pelo escritor frances, Aubet PROST, no romance “A PROCURA DO TEMPO PERDIDO”, do qual ele relembra as férias, quando crinaça, passava em Chambray, França, na fazenda de sua avóele, sentia o aroma dos bolinhos chamado MADELEINE (Madalena). E eu sinto o sabor do ALUÁ`que minha mãe fazia no mes de junho, festa juninas. Se voce tem esta deliciosa receita, não deixe de postar no seu, Bloco ou me enviar via e-mail Já pedi as miinhas amigas da minha idade, primas e minha mãe não está mais comigo, ela esta junto a Deus e minhas tias, vovos também. Lembroe que ela fazia de milho ou pão d’agua, o hoje Carioquinha. Nunca imajinei que esta deliciosa receita desaparecesse dos costumes das receitas juninhas do nosso Nordete. Se caso voce guardou esta receita a sete chaves, por favor, publique-a ficareirei eternamente grata a voce. Sou de de Fortaleza – Ce -sua vizinha. Minhas felicitações para uma mamãe super dinamica. guerreir e batalhador para está onde está hoje, realizado em tudo que sonhou, Com todo o meu carinho e estimação, da sua nova admiradora. Dina

  8. Sidmar Araujo disse:

    boa noite por favor envie para mim a receita do Molho de Queijo pois quero rechear e cobrir onde tem a receita não está abrindo.Meu emaill : Muito obrigado.

  9. irene disse:

    ola boua noite como vai tudo bem por favor si posivel mada para mi algumas
    reseitas de bolos der de ja li agra deso

  10. ilda musetti disse:

    adorei suas dicas de bolo , faço bolo para todos aniversariantes da família e adorei suas dicas , por favor me mande dicas de bolo com musse de limão , maracuja ,bolo gelado e umas coberturas com bem faceis……muito obrigada…

  11. Raimundo Alberto Teixeira Moraes disse:

    Olá Patty,
    Sou maranhense do interior do estado,tenho 51 anos (Grajaú), mas há oito anos moro na capital, São Luis. Sou funcionário público e nas horas vagas, fins de semana, feriados, enfim, adoro cozinhar. Sou casado e pai de três rapazes. Acho que não sou muito ruim na culinária não, porque Larissa (minha esposa), meus filhos e amigos, adoram as guloseimas que faço. Adoro doce de caju e já fiz aqui em casa, seguindo algumas de suas receitas, não só as doces, como também as salgadas. Posso enviar uma receita de um pão doce pra você, que é muito fácil de fazer e super econômico? Adoro suas receitas e também a Bahia.
    Obrigado e abraços.
    Raimundo Alberto (Bebé)

    Patty Martins respondeu:

    Olá Raimundo
    Manda sim, fiquei muito curiosa. eu gosto muito de fazer pães.
    Sou doida para conhecer o Maranhão. Tenho alguns amigos aí, mas nunca deu certo.
    Abraços
    Patty

  12. Graça disse:

    Oi, Patty! Amei tudo que li no seu blog. Realmente, vc entende de cozinhar e o faz com paixão e amor! Lendo sobre vc, vi que estudou nas Sacramentinas, em Senhor do Bonfim, e tenho uma tia freira, Ir. Terezinha do Menino Jesus, que morava nesse colégio. Tenho tb uma grande amiga, Suzana, que é de lá, e por sinal cozinha muito bem. Será que esse dom é genético dos moradores de lá? Parabéns, e vc ganhou mais uma fã. Bjs!

  13. RAIMUNDO ALBERTO TEIXEIRA MORAES disse:

    Aí vai, a receita do “PÃO DE LIQUIDIFICADOR” ou “PÃO ITALIANO”.

    1 Kg de farinha de trigo
    4 ovos
    3 copos, tipo americano de leite (morno)
    1 e 1/2 copo, tipo americano de óleo
    8 colheres de açúcar
    1 colher de sopa de sal
    1 envelope de fermento seco, ou (3 colheres de sopa)

    * MODO DE PREPARO.

    Bata todos os ingredientes no liquidificador, menos a farinha de trigo. Em uma tigela ou bacia, misture o liquidificado com a farinha sem amassar, (com uma colher). Misture até que a massa solte. Se necessário, acrescente farinha de trigo com fermento aos poucos. Modele ou ponha a massa em uma fôrma só (untada). Cubra com uma toalha, deixando crescer até dobrar de volume. Levar ao forno pre-aquecido por 30 a 40 min. ou até que doure bem.

    Espero que goste e lembre-se que adoro suas receitas, principalmente os doces.

    Saúde e paz à você e toda sua família.

  14. jdmuniz disse:

    FIZ O BOLO DE MILHO VERDE ….SANSACIONAL. OBRIGADO-JDMUNIZ-SÃO PAULO -CAPITAL

  15. VERA disse:

    UMA LINDA HISTORIA .

  16. fatima disse:

    ola patty adorei suas receitas…gostaria de te perguntar…qd for fazer carne assada, posso usar margarina ao inves de manteiga?fica bom…bjs.fatima.

  17. Inês disse:

    Olá Patty. Adoramos o seu muffin de laranja, mas gostaria que ele ficasse mais molhadinho. Você tem alguma sugestão a acrescentar na massa ou depois do bolinho já assado? Obrigada! Beijinhos

Deixe o seu comentário!

Comentários Pelo facebook