Arquivo da categoria: Comida Nordestina

Feijoada Simplificada

Já deu para perceber que eu gosto muito de receitas fáceis, né? Receitas Pá Pum. Zás trás. Isto não quer dizer que eu não goste das receitas tradicionais, mais trabalhosas e tals. Mas não é sempre que dar para fazer uma receita demorada e trabalhosa. Ás vezes você tem que se virar nos trinta.

Pois é o caso desta feijoada. Esta não é aquela clássica feijoada. Mas é muito boa também. Dá para você fazer para o almoço do meio da semana. Porque convenhamos, a feijoada clássica que demora horrores no fogo, só dá para fazer no fim de semana.

Vamos ver como eu fiz:

Feijoada

Ingredientes

1 embalagem com ingredientes para feijoada (foto1)

1/2 kg de feijão preto

2 folhas de louro

1 cebola grande picada

4 dentes de alho amassados

2 colheres (de sopa) de óleo

Modo de Preparo

Escolha e lave os feijões. Coloque de molho em água de um dia para o outro.

Retire as carnes da embalagem. Lave. Separe os cortes salgados (miúdos e costelinha) e coloque de molho também de um dia para o outro (troque a água de vez em quando). Guarde o bacon e a linguiça na geladeira.

No dia seguinte cozinhe o feijão com o louro em 2 litros de água por 15 minutos na panela de pressão. Enquanto isto, pique as carnes que estavam de molho e reserve. Retire o feijão da panela de pressão e coloque em uma panela maior. Na panela de pressão (não precisa lavar) coloque as carnes que estavam de molho e você tinha picado. Junte água e deixe cozinhar na pressão por 15 minutos. Depois coloque as carnes na panela do feijão juntamente com uma xícara da água de cozimento das carnes.

Pique o bacon e a linguiça e reserve.

Em uma frigideira coloque o óleo e o bacon para fritar. Depois acrescente o alho e a cebola e deixe fritar bem. Coloque uma concha do caldo do feijão na frigideira e deixe ferver. Coloque esta mistura da frigideira na panela do feijão, acrescente a linguiça cortada e deixe cozinhar. Abaixe o fogo e deixe cozinhar lentamente (acrescente mais água se for necessário, mas use água quente). Espere até que o caldo engrosse e as carnes fiquem bem macias. Agora experimente o sal. Se tiver bom, estará pronta.

Observações:

Sirva com arroz branco, couve refogada, farinha de mandioca, laranja e uma pimentinha que ninguem é de ferro.

Esta receita rende 6 porções.

Dicas:

  • Esta embalagem com os ingredientes para a feijoada tem de diversas marcas nos supermercados. Ela fica no setor dos gelados.
  • A parte de comprar as carnes para a feijoada, para mim, é a mais complicada. Aqueles mil pedaços de porco, nunca sei direito o que comprar. Fora, que tem umas partes que dá um nojo de comprar. Para mim, estas embalagens que já vem com os cortes para a feijoada, é uma mão na roda.
  • Se der, prepare a feijoada a noite, no almoço do dia seguinte ela vai estar ainda mais gostosa

Pamonha de Forno – Eita opção boa.

E o milho baixou de preço, rs.

Lembram aqui quando eu disse que o milho estava 3 espigas por 2 reais aqui em Garanhuns? Nos comentários a Eulália, do Papo de Meninas, até comentou que lá em Campina Grande (uma das maiores e melhores festas juninas do Brasil) ela encontrou milho há 1 real a espiga, vixe, assim só compro se for para fazer remédio, hahahahaha.

Por aqui, ainda bem que o preço baixou. Encontrei no fim de semana 5 espigas por 1 real. Daí já fiz milho cozido e também esta Pamonha de Forno.

Isto mesmo, Pamonha de Forno, porque aquela pamonha normal que rala o milho e coloca para cozinhar na palha, ninguém merece. Para fazer esta pamonha tradicional só se for praticamente um evento, rs. Sabe, quando todo mundo se reúne em um sítio, aí uns ralam o milho, os outros ajeitam as palhas e outros cozinham. Aí a gente faz aquele mundo de pamonha que todo mundo come de se esbaldar e ainda leva para casa? Pois é, só asssim.

Senão, prefiro comprar pronta. Preguiça? Não. Praticidade (ahã, me engana que eu gosto). Mas se você gosta de fazer esta pamonha tradicional, eu dou a maior força. Vai lá, segue firme. Se precisar de uma provadora oficial, tamos aí. Eu disse que tinha preguiça de fazer e não de comer, que fique claro.

Bem, vamos a minha humirde contribuição para as moiçolas casadoiras, mas não tão prendadas, ou não tão bem dispostas.

Pamonha de Forno

Ingredientes

4 xícaras (de chá) de milho verde. Dá umas 6 espigas

1  1/2 xícara (de chá) de açúcar

2 xícaras (de chá) de leite

2 ovos

4 colheres (de sopa) de amido de milho (maisena)

1 colher (de sopa) generosa de manteiga

1 colher (de sopa) de fermento em pó para bolo

Modo de Preparo

Primeiro – Veja que na foto 1 eu cortei todos os grãos de milho do sabugo, mas isto não é suficiente. O ideal, depois de você cortar todos os grãos é passar a faca no sabugo, como se estivesse raspando. O sabugo vai ficar como na foto 2. Isto é importante porque muito do amido do milho (que vai dar o ponto da receita) vai estar ali.

Bem agora o mais difícil, a massa, rs.

Coloque todos os ingredientes no liquidificador, exceto o fermento e bata bem. Junte o fermento e misture levemente (use o botão Pulsar do liquidificador). Despeje esta massa em uma assadeira untada com manteiga e polvilhada com farinha de trigo, cubra com papel alumínio. Leve ao forno que já deve ter sido pré aquecido por 10 minutos. O forno deve estar com a temperatura média. A pamonha vai assar em mais ou menos 45 minutos. Tire o papel alumínio nos 5 minutos finais, para ela dourar levemente.

Clique nas fotos para ver em tamanho maior

Dicas:

  • Usei uma forma de fundo removível, acho que fica mais bonita quando desenformo.
  • Use manteiga e de boa qualidade.
  • Cortei uma fatia para você ver como fica dentro, bem molhadinho e com um creminho (foto 10)

Bolo de Macaxeira de Liquidificador

Para começar quero esclarecer que macaxeira é a mesma coisa que aipim ou mandioca. O nome vai mudar dependendo do lugar do Brasil onde você mora. Aqui em Pernambuco todo mundo diz, macaxeira.

Quero esclarecer outra coisa também. Este bolo não é um bolo primoroso como o Bolo de Aipim com Leite Condensado e Caramelo que é simplesmente DI-VI-NO. Este é um bolo prático. Isto não quer dizer que não seja bom, não é isto. Ele é bom, mas é um bolo mais comunzinho. Ideal para fazer quando você está com pressa: Vai chegar uma visita, as crianças tem que levar um bolo na escola, os vizinhos resolveram de última hora fazer uma festinha para pular a fogueira, situações assim.

Eu não passei por nenhuma situação destas para fazer este bolo. Simplesmente me deu vontade de fazer um bolinho para tomar com um chá no fim da tarde que estava simplesmente congelando, frio mesmo.

Veja esta foto aí do lado que uma amiga querida de minha filha tirou lá do centro da cidade, né Lu. Olha que esta foto foi no centro, imagina então o frio em outras partes da cidade onde normalmente o frio é maior.

Bem agora vou mostrar como fiz esta receita:

Bolo de Macaxeira de Liquidificador

Ingredientes

  • 1 kg de macaxeira crua descascada e picada
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 vidro pequeno de leite de coco (200 ml)
  • 100g de coco ralado (se tiver o fresco é melhor)
  • 2 colheres (de sopa) de manteiga ou margarina
  • 4 colheres (de sopa) de açúcar
  • 3 ovos

Modo de Preparo

Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata bem. Unte uma assadeira com manteiga, polvilhe com farinha de trigo e despeje o conteúdo do liquidificador nela. Leve ao forno médio por mais ou menos 40 minutos. Ele depois de frio fica mais gostoso. quando está quente ele fica meio puxa-puxa.

Obs:

  1. Na hora de cortar a macaxeira, não esqueça de tirar aquele fio que tem no meio, pois é muito fibroso e fica ruim no bolo;
  2. Se der use coco fresco ralado e manteiga, mas se não der não deixe de fazer, use margarina e coco seco em pacote;
  3. Neste bolo não vai fermento.

Salada de Cuscuz Nordestino

Eu não disse que eu fazia muitas receitinhas com o cuscuz que sobra do café da manhã? Então, oia eu aqui traveis.

Todo mundo sabe que na mesa de todo nordestino que se preza tem cuscuz. Não aquele branquinho, de tapioca, do Rio de Janeiro, nem o todo temperado, de São Paulo, mas o de milho bem amarelinho e fofo.

Se você não mora por aqui mas é chegado em um cuscuz nordestino corre aqui que dou as dicas de como preparar: Mini Cuscuz Nordestino

Vamos ver a receita então:

Continue lendo Salada de Cuscuz Nordestino

Bode Guisado – Hum delícia!

Hoje é sábado e em quase todos os municípios aqui do Nordeste é dia de feira. Na feira normalmente encontramos a carne de bode que é tão característica aqui desta região do Brasil. Sei que tem gente que torce o nariz para este tipo de carne, mas gente, é puro preconceito, viu? Esta carne é muito saborosa tanto cozida, como esta, quanto assada.

Quanto a esta que fiz não foi comprada na feira, mas sim em um açougue aqui perto de casa. Um achado. É um açougue bem pequeno que eu nem conhecia, mas que vende carne para várias churrascarias da região e se você chegar no sábado vai encontrar carne bem fresquinha, O dono chega da fazenda por volta das 5h da manhã. E você não encontra só carne de bode, encontra todo tipo de carne.

Veja como eu fiz:

Bode Guisado

Ingredientes

1 kg de bode partido em pedaços pequenos (ou cabrito)

4 dentes de alho amassados

2 cebolas cortadas em cubos

1 pimentão verde cortado em cubos

1 maço de coentro picado

1 colher de óleo

Sal e colorau a gosto

Modo de Preparo

Frite a cebola no óleo e acrescente o alho para fritar. Depois junte o pimentão e refogue um pouco mais. Agora junte a carne cortada, o colorau, o coentro, o sal e água para cozinhar. Eu cozinhei na panela de pressão, mas dá para cozinhar em panela de alumínio e até de barro, só demora um pouco mais.

Se quiser deixe o caldo apurar e depois você faz um pirão, fica divino.

Obs: Quando dizemos carne de bode na verdade é carne de cabrito. A carne de bode é muito mais dura, a de cabrito é uma carne tenra por ser um animal jovem.

Acho que cabe um esclarecimento aqui, pois tem muita gente que faz confusão. Vamos as diferenças:

Bode – Macho adulto dos caprinos

Cabra – É a fêmea do bode

Cabrito – São animais (cabras ou bodes) jovens, em fase de crescimento.

Carneiro – Macho dos ovinos

Ovelha – Fêmea do cordeiro

Cordeiro – É o filhote do carneiro com a ovelha

Bolo de Cuscuz, hum!

Isto mesmo, um bolo feito com o que sobrou daquele cuscuz que você fez. Estou falando do cuscuz nordestino, aquele feito de flocos de milho.

Quando fazemos um cuscuz, ou a gente come enquanto ele está quentinho, ou se deixar para depois ele fica duro e seco, um horror! Eu tenho várias receitinhas onde reaproveito as sobras do cuscuz. Esta semana fiz aqui em casa este Bolo de Cuscuz. Ele é muito bom. Sabe aquele bolo bem úmido e com um creme na base, pois este é assim. Vejam que a foto não ficou lá estas coisas, mas é que comemos o bolo ainda quente (gulodice) e quente ele não desenforma direito. Mas,ou eu tirava a foto dele assim mesmo, ou não tirava, pois não sobrou nem um tiquinho para contar a estória.

Ó eu fiz assim:

Bolo de Cuscuz

Ingredientes

2 xícaras (de chá) de sobras de cuscuz

3 ovos

2 xícaras (de chá) de açúcar

3 xícaras (de chá) de leite

1 colher (de sopa) de fermento para bolo

2 colheres (de sopa) de manteiga derretida

1 colher (de sopa) de queijo parmesão ralado

Modo de Preparo

Coloque todos os ingredientes no liquidificador, com exceção do fermento e bata bem. Depois misture o fermento delicadamente e despeje em uma forma untada e enfarinhada. Leve para assar em forno pré aquecido na temperatura média. Enquanto assa ele sobe um pouco (por isto, não encha muito a forma), mas depois ele abaixa. Coma frio ou quente, dos dois jeitos fica muito bom.

Clique nas fotos para ver em tamanho maior

Notem que na foto dos ingredientes tem uma goiabada. Eu ia fazer uma calda com ela para colocar por cima do bolo, mas não deu tempo. Os esfomeados foram mais rápidos que eu, kkk. Mas se quiser colocar é só derreter a goiabada no fogo com um pouco de água, espalhar por cima do bolo e o que era divino vai ficar DIVINO.

Obs: Se você não sabe fazer cuscuz, mas gosta muito, clica AQUI que eu ensinei. Para fazer este bolo faça o cuscuz simples, sem o queijo coalho.

Feijão de Corda. Quer aprender a fazer?

Fazer feijão de corda para o almoço. Quer mais nordestino do que isto? Vamos fazer?

Aqui no nordeste encontramos o feijão de corda facilmente. Eu usei o seco. Se você quiser fazer, mas não mora no nordeste procure uma “Casa do Norte” na sua cidade. “Casa do Norte” são como são chamadas as lojas que vendem produtos nordestinos no sudeste do Brasil. Elas são facilmente encontradas principalmente nos estados de Minas, São Paulo e Rio de Janeiro. Não sei se nos outros estados tem. Quando morei em Araraquara e Rio Claro, no interior de São Paulo, eu encontrava com facilidade.

Pois bem, fiz com o feijão de corda seco que comprei no supermercado, assim:

Feijão de Corda

Ingredientes

1/2 kg de feijão de corda seco

2 dentes de alho amassados

1/2 cebola picadinha

1 colher (de sopa) de pimentão verde picadinho

2 colheres (de sopa) de coentro picadinho

2 colheres (de sopa) de óleo

1 colher (de sobremesa) de colorau

Sal a gosto

Modo de Preparo

Na noite anterior escolha o feijão, tirando os grãos estragados e coloque de molho em água. No dia seguinte escorra a água e lave bem o feijão. Coloque o feijão em uma panela com água suficiente para cobrí-lo e deixe cozinhar (o tempo varia se o feijão é mais novo ou velho, mas vai de 5 a 10 minutos). Enquanto o feijão cozinha faça o tempero.

Esquente o óleo em outra panela e frite a cebola. Depois acrescente o alho e deixe dourar. Junte o pimentão, o coentro e o colorau, frite mais um pouco. Acrescente o tempero na panela do feijão quando ele estiver quase cozido, coloque o sal e deixe cozinhar mais uns 10 minutos.

Obs:

  1. Este feijão, depois de pronto fica muito, mas muito parecido mesmo com o feijão verde.
  2. Note que o caldo dele não engrossa tanto quanto o caldo do feijão carioquinha.

Escondidinho de bacalhau, este é de comer de joelhos.

Fiz este escondidinho para receber uns amigos aqui em casa e foi um sucesso. Aliás todo escondidinho é bom, né gente?

Não vou ficar aqui conversando, pois a receita é longa e tem muuuuiiiitas fotos. Mas vou escrever por partes que fica bem fácil.

Faz que você não vai se arrepender. Esta travessa deu para 10 pessoas. Foi servido com arroz branco e salada de rúcula com manga.

Escondidinho de Bacalhau

Ingredientes

Para o bacalhau

500g de bacalhau

1 cebola ralada

2 dentes de alho amassados

2 colheres (de sopa) de coentro picado

10 azeitonas verde sem o caroço

1/4 de xícara (de chá) de azeite de oliva extravírgem

Para o purê

500 g de macaxeira (é o mesmo que aipim ou mandioca)

1 colher (de sopa) bem cheia de manteiga

1 vidro de leite de coco (200 ml)

1 copo (de 150 ml) de leite

Sal a gosto

200g de muçarela

Modo de Preparo

Do bacalhau

No dia anterior coloque o bacalhau em um recipiente com água e leve a geladeira. Troque esta água pelo menos umas 4 vezes. No dia seguinte coloque o bacalhau em uma panela com água limpa e deixe levantar fervura. Escorra a água, deixe esfriar e desfie o bacalhau, retirando pele e espinhas. Agora coloque o azeite em uma panela, refogue a cebola, acrescente o alho, frite mais um pouco. Acrescente o bacalhau desfiado e o coentro. Deixe refogar um pouco e desligue. Junte as azeitonas e misture. Despeje na travessa onde vai ser montado o escondidinho.

Do purê

Cozinhe a macaxeira na água com sal. Depois amasse bem com um garfo. Misture o leite de coco, o leite e a manteiga. Leve ao fogo, mexendo sempre. Veja se o sal está bom. Depois que levantar fervura pode desligar. Espalhe sobre o bacalhau que está na travessa. Cubra com o queijo muçarela e leve ao forno alto para gratinar.

Clique nas fotos para ver em tamanho maior

Dica:

  • Se quiser o purê mais mole ou mais duro, aumente ou diminua a quantidade de leite.

Observação: Obrigada pelas pessoas que estão chamando a minha atenção, dizendo que escrevi errado a palavra “Muçarela”. Não escrevi não. O certo é “Muçarela”, é horroroso, mas é o certo.  http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=mu%E7arela

Veja também:

Escondidinho de Charque com Macaxeira

Balinhas de Caju ou “Nego Bom” de Caju

Vocês conhecem “Nego Bom”? Acho que a maioria dos nordestinos vão dizer que sim. É mais ou menos parecida com a Mariola carioca, kkk, ficou na mesma? Tanto o “Nego Bom” quanto a Mariola, são doces feitos com banana e açúcar, depois são passados (as bolinhas ou os pedaços) no açúcar cristal e enrolados no papel celofane.

No meu caso, eu fiz este mesmo doce só que de caju, seria então um Nego Bom de Caju? Não sei, só sei que ficou muito bom e todo mundo aqui em casa aprovou.

Ainda ontem eu postei aqui o Doce de Caju Pastoso, pois o Doce de Caju Pastoso é a base da Balinha de Caju

Vou repetir aqui, a receita completa para não ficar confuso.

Vamos lá:

Balinhas de Caju

Ingredientes

1 kg de caju

800 g de açúcar cristal

4 colheres (de sopa) de suco de limão

Açúcar cristal para envolver as balinhas

Modo de Preparo

Corte os cajus e vá batendo aos poucos no liquidificador, se achar que precisa de um pouco (bem pouco mesmo) de água para ajudar a bater pode usar (eu não usei). Despeje sobre uma peneira e deixe escorrer um pouco. Coloque na panela, junto com o açúcar e o limão e leve para cozinhar. Mexa de vez em quando, mas quando o doce começar a ficar cremoso não pare de mexer. O ponto certo é quando o doce começa a desgrudar da panela (parecido ao ponto do brigadeiro). Unte um prato com manteiga e despeje o doce nele. Espere esfriar completamente e só então enrole as balinhas na mão e passe no açúcar cristal. Você pode quardá-las assim em uma boboniere ou enrolar em pedaços de papel celofane, como eu fiz.

Dica:

  • Eu usei o sumo que escorreu da peneira para fazer um suco, ficou muito bom.

Obs: Eu fiz o Doce de Caju Pastoso e depois de pronto retirei a metade e guardei e a outra metade voltei para o fogo e deixei apurar mais até ficar no ponto da balinha.

Veja também:

Doce de Caju em Calda
Doce de Caju Pastoso

Doce de caju pastoso

Lembram que na safra de caju do ano passado eu fiz o Doce de Caju em Calda? Pois bem, este ano, apesar de achar que tem menos caju nas feiras, que no ano passado, já fiz dois tipos de doce de caju e ainda quero repetir o em calda.

Este que vou mostrar para vocês agora é o Doce de Caju Pastoso, depois mostro o outro.

Eu fiz assim:

Doce de Caju Pastoso

Ingredientes

1 kg de caju

800 g de açúcar cristal

4 colheres (de sopa) de suco de limão

Modo de Preparo

Corte os cajus em pedaços pequenos e coloque no liquidificador. Bata bem. Nesta hora você vai ter que dar umas chacoalhadas no liquidificador, se mesmo assim não bater coloque um pouquinho de água (mas bem pouco mesmo). Depois de bater, despeje em uma peneira para escorrer o excesso de líquido, não precisa mexer para a massa de caju não ficar muito seca. Coloque a massa de caju na panela, acrescente o açúcar e o suco de limão. Misture e leve ao fogo. Quando começar a ferver abaixe bem o fogo, a tendência é o doce ficar  espirrando e pode lhe queimar. De vez em quando dê uma mexida no doce para ele mão grudar no fundo. Ele deve ficar no fogo por cerca de 45 minutos até 1 hora. Quando você notar que ele mudou de cor e está bem cremoso, já pode desligar. Coloque em um vidro com tampa e ele se conserva bem.

Dica:

  • Quando for bater os cajus no liquidificador faça isto aos poucos (uns 5 cajus por vez) assim fica mais fácil.

Obs: Não esqueçam: Caju sem acento #peloamordedeus, rs.

Veja também:

Doce de Caju em Calda
Balinhas de Caju ou “Nego Bom de caju